Como reduzir a despesa de um armazém

Blog

Como reduzir a despesa de um armazém
30-10-2013 às 18:10

Por norma um armazém representa uma grande fonte de despesa para uma empresa, por isso, já começa a ser habitual a subcontratação do serviço de armazenagem, no entanto, caso possua um ficam aqui algumas dicas de como poderá reduzir a despesa.

Segundo entidades internacionais os custos energéticos de um armazém representam cerca de 15% dos custos de operação de um armazém. Os custos energéticos mais acentuados são geralmente alocados à iluminação, sendo que segundo um estudo da Envido esta é responsável por cerca de 65% do consumo total, logo seguido do aquecimento que se situa nos 12%. Existe ainda o consumo dos empilhadores que poderá também representar uma grande despesa no final do mês.

Organização e rentabilização do espaço

Quando se fala em despesas de um armazém o primeiro número que nos vem à cabeça é o valor da renda/prestação, por esse motivo é importante que consigamos rentabilizar o nosso espaço ao máximo. Antes de mais devemos sempre ter o cuidado de adquirir/alugar um armazém que se adeque à nossa estratégia de negócio no imediato ou num futuro breve.

Para conseguirmos aproveitar bem o espaço disponível devemos ter o cuidado de o organizar corretamente, seja pela correta identificação dos materiais/zonas ou pela localização que cada um ocupa no armazém. Existem diferentes formas de organizar/identificar um armazém, um grossista irá organizar o seu armazém pelos produtos comercializados, já um transportador irá organizar o seu armazém por zonas de envio.

Pegando no exemplo do grossista… os produtos com maior movimento devem ser armazenados junto à expedição, pelo que desta forma irá poupar bastante em tempo e/ou combustível, para isso basta fazer uma análise básica para descobrir quais são os produtos mais vendidos/movimentados. Deve é ter o cuidado que essa análise seja relativa a um período temporal recente, para que não sejam incluídos produtos que atualmente já não vendem. Tenha ainda o cuidado de a análise ser feita em termos de unidades e não faturação, porque um produto muito caro que saia pouco poderá induzir em erro. Pode ainda fazer uma análise ABC para classificar os produtos.

Para além da organização é também muito importante a rentabilização do espaço existente. Se forem instaladas prateleiras passará a ser possível armazenar em altura e desta forma duplicar ou triplicar o espaço, dependendo do número de pisos/prateleiras que forem instaladas. Na prática não irá baixar o valor da renda, mas como conseguirá armazenar mais mercadoria o rácio será muito melhor.

Iluminação

A iluminação de um armazém na maior parte das vezes não recebe a devida importância por parte dos gestores, mas a verdade é que esta acaba por ser uma grande fonte de despesa. Antes de se ponderar quais as lâmpadas a utilizar deve começar por permitir a entrada de luz natural nas instalações através de claraboias.

Maior parte das lâmpadas utilizadas nos armazéns possuem um consumo elevado, no entanto, atualmente existem produtos como os projetores a LED que permitem uma boa iluminação com um consumo de eletricidade muito reduzido. No entanto, o grande problema ainda continua a ser o elevado preço de aquisição destes produtos que geralmente ficam duas a três vezes mais dispendiosos que os projetores normais. Neste caso se o investimento for pensado a 10 anos já costuma compensar.

Os projetores a LED são sem dúvida os mais eficientes de todos, por isso deve fazer as contas e comparar com o seu sistema de iluminação atual e analisar o tempo que demorará para ter o devido retorno. Pode ainda considerar recorrer aos projetores a LED em apenas uma parte do armazém, desta forma o seu investimento inicial já não será tão elevado.

Pode também optar por tornar o sistema de iluminação mais inteligente através da instalação de sensores que determinem quando as luzes devem estar ligadas, sejam sensores de movimento para situações onde a zona apenas seja utilizada pontualmente, sejam sensores de iluminação que reconhecem quando a luz natural é suficiente. Convém é que nestes casos sejam utilizados projetores que consumam pouco energia no arranque, pois se instalar sensores em lâmpadas que consumam muito esta solução pode acabar por lhe ficar mais cara.

Aquecimento

Maior parte dos sistemas de aquecimento são utilizados nos escritórios, pois aquecer a zona de armazém ficaria muito cara e até porque maior parte das vezes este encontra-se aberto. No que diz respeito aos escritórios, por norma a solução mais vantajosa será o ar-condicionado, pois permite aquecer rapidamente uma sala, mas como é óbvio o investimento inicial do ar-condicionado será muito maior.

Muitas das vezes a melhor forma de resolver um problema de frio ou calor não passa por aquecer ou arrefecer as instalações, mas sim por evitar que estas tenham perdas de calor. Se conseguir isolar bem as suas instalações vai conseguir ter uma temperatura mais constante dentro do armazém ou escritórios, pelo que irá gastar menos energia para o colocar à temperatura desejada.

Fontes renováveis

Cada vez mais se tem pedido às empresas que adotem uma prática ecológica de forma a reduzirem a sua pegada de carbono, contudo isso geralmente implica gastar dinheiro e atualmente cada vez existe menos dinheiro disponível.

Na maior parte das vezes o investimento inicial para recorrer à utilização de energias renováveis fica muito caro, mas quando se pondera o mesmo a longo prazo e caso os consumos sejam elevados, na maior parte das vezes compensa o investimento.

A instalação de painéis fotovoltaicos já começa a ser muito habitual nos dias de hoje e à medida que vai aumentado o preço da instalação vai ficando mais baixo. Pode ponderar instalar apenas alguns painéis que lhe forneçam a energia necessária para manter ativos os dispositivos que estejam constantemente ligados. Desta forma sempre que o seu armazém necessite mais do que essa energia ela será fornecida pela rede elétrica.

Publicidade

Leia também

Segundo um estudo levado a cabo pela Economist Intelligence Unit (EIU) a pedido da DHL, a maioria das PMEs vê na internacionalização a possibilidade de aumentarem as suas receitas até 50% num prazo de 5 anos. Este estudo contou com a colaboração de 480 executivos e especialistas de 12 países e 20 indústrias.

Se nunca ouviu falar dos termos ‘economia circular’ e ‘economia linear’ então está na altura de os conhecer, pois este será cada vez mais um assunto em voga!