Empresas europeias de alta tecnologia aproximam produção dos consumidores

Blog

Empresas europeias de alta tecnologia aproximam produção dos consumidores
07-09-2015 às 11:09

Nos últimos anos, a indústria da alta tecnologia tem vindo a crescer significativamente! Isto não só se deve ao aumento da classe média nos mercados emergentes – e consequente procura de bens de «luxo» - como ao próprio ciclo de vida dos produtos que tem vindo a diminuir.

O aumento da procura leva a um aumento dos fluxos logísticos, o que por sua vez coloca uma série de dificuldades e/ou oportunidades à logística. Como tal, as empresas que melhor se adaptarem a esta nova realidade, estarão na linha da frente!

Segundo um estudo levado a cabo pela UPS, as empresas europeias de alta tecnologia já estão neste momento a proceder a alterações/adaptações às suas cadeias de abastecimento de forma a prepararem-se para um forte crescimento. Seja pela mudança de estratégia, aposta em novos mercados, perceção do risco, até à aposta em novas tecnologias como a impressão 3D.

Por isso, se trabalha no ramo da alta tecnologia, então está na altura de se questionar se já preparou a sua cadeia de abastecimento para o crescimento!

Evolução da exportação

Quando questionados acerca da evolução da exportação, 58% dos entrevistados acreditam que a evolução será positiva nos próximos dois anos, já a nível mundial parece existir maior otimismo (75%).

Qual a melhor localização para a produção/montagem

As empresas estão neste momento a debater-se com o seu crescimento e com a otimização das suas cadeias de abastecimento, como tal, a melhor localização para a produção continua a ser um tema muito debatido:

- Off-shoring – Deslocalização da produção/montagem para países com mão-de-obra barata;
- Near-shoring – Deslocalização da produção/montagem para o local de maior procura/consumo;
- Right-shoring – Otimização da cadeia de abastecimento de forma a utilizar os melhores recursos, obter melhor performance e satisfação do cliente.

Este estudo veio demonstrar que ambas estratégicas continuam a ser utilizadas, no entanto, a flexibilidade parece ser a nota dominadora. De realçar que na Europa o right-shoring tem vindo a crescer (56%) em popularidade em comparação com o resto do mundo (45%).

Que tática de near-shoring utilizar

Apesar de o right-shoring estar a crescer em popularidade em todo o mundo, as empresas de alta tecnologia deverão estar particularmente atentas ao near-shoring. Uma vez que nos últimos anos tem-se verificado uma aproximação da produção ao local de procura e atualmente uma aproximação da montagem ao local de procura, essa tendência vai-se manter nos próximos anos.

As empresas (69%) têm vindo a apostar no near-shoring com o objetivo de aumentar a qualidade do seu nível de serviço, assim, a aposta na qualidade parece estar a sobrepor-se à aposta em mercados com mão-de-obra barata. No entanto, um dos principais entraves à utilização do near-shoring continua a ser a localização dos principais fornecedores.

Mercados emergentes

As empresas de alta tecnologia têm vindo a apostar nos mercados emergentes, sendo que 66% já está presente na China, 41% na Índia e 40% na Rússia. Para além disso, mesmo os anteriormente considerados mercados emergentes, como é o caso do Brasil, continuam a ser uma aposta para estas empresas.

Aposta em empresas 3PL e 4PL

Apesar de existirem diversas barreiras à entrada em mercados emergentes, a aposta em empresas de logística que já possuem conhecimento destes mercados, parece ser uma das melhores formas de superar as mesmas.

Como estas empresas possuem infraestruturas e o know-how do mercado, podem numa primeira fase (ou para sempre) evitar investimentos milionários.

Impressão 3D

Na Europa a impressão 3D parece ser a alta tecnologia mais em voga, tendo 66% dos entrevistados referido que já recorreram à mesma para a projeção de novos produtos de forma a acelerar o processo de desenvolvimento. Contudo, a nível global, a percentagem aumenta para os 75%.

Sustentabilidade

Os principais indicadores de sustentabilidade para as empresas europeias de alta tecnologia são a redução de custos (74%) e ir ao encontro das necessidades do consumidor (66%).´

Fonte: UPS

Publicidade

Leia também

O governo americano aprovou recentemente a lei Customs Reauthorization Bill, também conhecida como a Lei de Facilitação e Reforço do Comércio de 2015, com efeitos a partir de 10 março de 2016.

A ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) levou a cabo um estudo acerca da logística como fator de competitividade entre lojas online. O estudo onde foram consideradas as vertentes: armazenagem, movimentação e transporte, entrevistou mais de 250 lojas online e contou com apoio da Brazil Panels e Ecommerce School.