Impacto ambiental dos transportadores

Blog

Impacto ambiental dos transportadores
14-11-2013 às 23:11

O impacto ambiental provocado pelos automóveis está cada vez mais em voga, no entanto, só nos últimos anos é que se tem dado mais relevância a esta situação… não propriamente pelo seu impacto no ambiente, mas sim porque o preço dos combustíveis não têm parado de subir.

Situação atual

Segundo um estudo levado a cabo pela GBOD (Global Burden of Disease) a poluição do ar é uma das 10 causas mais frequentes de doença em todo o planeta. Segundo este estudo, apresentado em 2012, cerca de 3,2 milhões de pessoas morreram em 2010 em consequência da poluição atmosférica, comparando com as 800.000 mortes ocorridas durante o ano de 2000. Sendo que muitas destas mortes podem ser atribuídas aos gases emitidos pelos veículos.

Para a Organização Mundial de Saúde o ozono que permanece junto ao solo causa vários problemas respiratórios como, por exemplo, a asma. No entanto, as metrópoles continuam a ser os principais afetados por este problema, veja-se o exemplo de Hong Kong onde a visibilidade chega a ser inferior a 8 quilómetros durante um terço do ano.

Por este motivo nos últimos anos tem-se verificado um esforço levado a cabo por vários países para baixar as emissões de dióxido de carbono para a atmosfera. Por exemplo na União Europeia foram estipuladas metas que obrigam todos os seus membros a baixarem as emissões de gases de efeito de estufa. Entretanto o Canadá tem levado a cabo uma regulamentação ainda mais apertada, encontrando-se a regular os vários setores de atividade de forma individual de maneira a conseguir reduzir as emissões de gases de efeito de estufa em 17% até ao ano de 2020.

Para além das leis nacionais algumas cidades têm tomado a iniciativa de limitar a circulação de veículos junto aos centros, especialmente no que diz respeito a camiões ou veículos mais antigos.

Transportadores e a sua responsabilidade

Todos nós temos responsabilidade na emissão de CO2 para a atmosfera, mas os transportadores devido à dimensão da sua frota e ao elevado número de quilómetros percorridos acabam por ser muito mais do que apenas uma pequena parte do problema.

O impacto ambiental tem sido encarado pelos transportadores como (apenas) um problema financeiro, onde a palavra “ecológico” vem muitas vezes associada a mais um custo… porém ser ecológico não deve ser sempre encarado como mais um problema, mas sim como uma oportunidade. Com a evolução do mercado tradicional para um mercado mais moderno e competitivo, onde todos os pontos nos podem diferenciar da concorrência, a ecologia pode assim ser encarada de forma positiva.

Marketing – podemos utilizar a vertente ecológica como uma boa forma de publicitar o nosso negócio, pois os clientes (principalmente os particulares) estão cada vez mais dispostos a trabalhar com empresas mais amigas do ambiente. Veja-se o exemplo da UPS ou DHL que têm vindo a fazer uma enorme campanha em torno da sua vertente mais ecológica.

Eficiência – ser mais eficiente, significa ser igualmente eficaz mas utilizando menos recursos. Aqui entram os novos veículos com tecnologia mais avançada e eficiente que emitem menos CO2 e consomem muito menos combustível que os motores antigos. É certo que abandonar o camião antigo e comprar um novo implicará um custo significativo, no entanto, antes de descartar esta hipótese faça as contas para analisar em quanto tempo conseguiria rentabilizar o seu investimento. Pode sempre dar formação de eco-condução aos seus colaboradores, desta forma conseguirá baixar o consumo de combustível sem estar a investir em novas viaturas.

Legislação – não nos podemos esquecer que a legislação atual tem levado a uma modernização da frota. Para além das novas normas que têm tornado as viaturas menos poluentes, começam também a aparecer vários locais, como os centros das cidades, onde se proíbe a entrada de veículos mais antigos que não respeitem as mais recentes normas de emissões. Desta forma os transportadores são obrigados a recorrem a veículos mais pequenos e mais eficientes. Por isso, não espere pela lei e vá-se preparando, pois desta forma quando a legislação se tornar mais apertada (e isso irá realmente acontecer) já terá dado um passo em direção à mudança.

Planeamento – outra forma de ser ecológico e ao mesmo tempo poupar é passar a dar mais importância ao planeamento de rotas (routing), pois se conseguir realizar um bom planeamento certamente conseguirá reduzir a distância percorrida pela sua frota. Pode sempre pensar que poupar, por exemplo, 5 km num dia não é muito, mas se pensar no que irá poupar ao fim de um mês ou mesmo de um ano… não se esqueça que o impacto não será apenas no ambiente, mas também na sua carteira.

Publicidade

Leia também

Segundo o estudo "Low-Cost Sensor Technology" levado a cabo pela DHL as tecnologias originalmente desenvolvidas para uso particular podem (e devem) ser uma mais-valia na indústria e em particular na logística.

Quando pretende enviar uma determinada mercadoria para um destino, deve sempre ter em conta a questão da embalagem, pois se não tomar as devidas providências pode correr o risco de a mercadoria chegar ao destino danificada.