Panorama da logística num ambiente de e-commerce

Blog

Panorama da logística num ambiente de e-commerce
04-09-2013 às 21:09

A ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) levou a cabo um estudo acerca da logística como fator de competitividade entre lojas online. O estudo onde foram consideradas as vertentes: armazenagem, movimentação e transporte, entrevistou mais de 250 lojas online e contou com apoio da Brazil Panels e Ecommerce School.

A ABComm procurou desta forma perceber em que estado se encontra o e-commerce e principalmente como a logística tem acompanhado esta nova realidade económica.

Outsourcing vs. Frota própria

No que diz respeito ao transporte as lojas brasileiras questionadas vêm demonstrar que dão uma larga preferência ao outsourcing, sendo que apenas 13% das lojas entrevistadas referem que recorrem a frota própria. Muitas destas referem ainda que apenas recorrem à sua frota, pois o seu produto/serviço lhes limita a escolha, destacam-se casos como o transporte de produtos perecíveis, de entrega no próprio dia, pedras preciosas ou então produtos onde existe um elevado risco de quebra.

Das lojas online que referem que recorrem ao outsourcing, 93% delas confessam que enviam os seus produtos pelos Correios, já 35% referem que também recorrem a outras empresas privadas. O estudo ainda constatou que 23% contratam transportadoras de acordo com a região onde pretendem realizar a entrega e que para além disso, o transporte rodoviário é o mais escolhido com 64%, seguido de longe pelo aéreo com 26% e o courier com 10%.

No que diz respeito à armazenagem e movimentação de materiais, 82% das lojas entrevistadas referem que essas atividades ainda continuam a ser da sua responsabilidade. No entanto, já começa a haver sinais de inversão com 10% das lojas a referirem que já recorrem parcialmente ao outsourcing e 8% a subcontratarem totalmente.

Os entrevistados referem ainda que a subcontratação de serviços logísticos continua a causar algumas dificuldades, com 61% das lojas online a indicarem que o principal problema enfrentado é o atraso nas entregas. Contudo, aqui ainda se destaca a falta de segurança que existe no Brasil, com 39% dos entrevistados a referirem que os extravios, furtos e roubos são os principais problemas.

Custo logísticos

Segundo a ABComm o custo das entregas/transporte representa 58% de todos os custos logísticos, já os custos de armazenagem ficam-se pelos 23% e da movimentação em 19%.

De forma a lidarem com a situação, 55% das lojas online entrevistadas referem que transferem esse custo para os consumidores, no entanto, 30% das lojas adotam um modelo híbrido, transferindo apenas parte do valor e apenas 15% assumem totalmente o custo do transporte.

Outro ponto a destacar é que 69% das lojas online entrevistadas oferecem custos de entrega gratuitos, sendo que não é referido se esse custo foi incluído no próprio preço do produto. Apesar disso, esta oferta acaba por ser um forte argumento de venda para as lojas online, pois o consumidor irá certamente preferir uma loja com entrega gratuita a uma que não o ofereça. Das lojas que oferecem a entrega, 66% delas referem que o fazem numa tentativa de aumentarem as vendas, já os restantes 34% apenas oferecem esse bónus porque os concorrentes também o fazem.

Publicidade

Leia também

Quando pretende proceder ao envio de uma determinada mercadoria, deve ter em atenção que existe um conjunto de mercadorias que não podem ser transportadas pelas empresas de transporte, saiba aqui quais são esses artigos para que não venha a ser surpreendido.

O impacto ambiental provocado pelos automóveis está cada vez mais em voga, no entanto, só nos últimos anos é que se tem dado mais relevância a esta situação… não propriamente pelo seu impacto no ambiente, mas sim porque o preço dos combustíveis não têm parado de subir.