PMEs apostam na internacionalização

Blog

PMEs apostam na internacionalização
29-12-2014 às 19:12

Segundo um estudo levado a cabo pela Economist Intelligence Unit (EIU) a pedido da DHL, a maioria das PMEs vê na internacionalização a possibilidade de aumentarem as suas receitas até 50% num prazo de 5 anos. Este estudo contou com a colaboração de 480 executivos e especialistas de 12 países e 20 indústrias.

No entanto, apesar de assumirem que a internacionalização é o caminho a seguir para alcançarem o crescimento, os inquiridos referem que continuam com receio de investir noutros países devido a fatores culturais, infraestruturas inadequadas e à instabilidade política.

Para além disso, o estudo também demonstrou existir uma grande discrepância entre os países desenvolvidos e os em desenvolvimento. Nos países pertencentes ao G7, 69% das PMEs revelou que pretende apostar na internacionalização, já nos países em desenvolvimento apenas 46% referiu existir essa vontade.

Principais barreiras

Muitas PMEs continuam a ver várias barreiras na internacionalização. A qualidade das infraestruturas, a fraca estabilidade do sistema político, custos administrativos elevados e diferenças culturais acentuadas, são algumas das principais barreiras.

O fraco conhecimento de mercados externos foi a que recebeu maior atenção, sendo que 84% dos inquiridos referiu que conhecer a língua e cultura do país é um dos principais fatores para apostar no mesmo. Aqui também foi possível perceber que os países em desenvolvimento tem maior facilidade em investir noutros países em desenvolvimento e que os países desenvolvidos apostam mais em países desenvolvidos.

Ao nível das táticas de expansão, o estudo demonstrou que o recurso a parcerias é o fator fundamental para as PMEs. A maioria das PMEs pertencentes ao G7 opta por trabalhar com distribuidores que já conhecem o mercado e que já possuam a sua própria rede de distribuição. Desta forma, o investimento será muito menor!

Onde investir

Apesar da grande afluência que o mercado africano tem vindo a ter nos últimos tempos, este mercado continua a ser visto com muita reserva por parte das PMEs. Cerca de 40% das empresas referem que não veem qualquer oportunidade naquela região em resultado das fracas infraestruturas e um sistema político instável. Esta situação acaba por abrir caminho às grandes multinacionais que possuem grandes recursos financeiros.

Por outro lado a China continua a ser o mercado mais atrativo para as PMEs. A estabilização do sistema político chinês, com maior abertura ao ocidente, levou a que as empresas vejam grandes oportunidades naquele mercado. Mas mesmo assim continuam a manter-se muitas reservas ao investimento nesta região, devido a fatores culturais.

Publicidade

Leia também

O impacto ambiental provocado pelos automóveis está cada vez mais em voga, no entanto, só nos últimos anos é que se tem dado mais relevância a esta situação… não propriamente pelo seu impacto no ambiente, mas sim porque o preço dos combustíveis não têm parado de subir.

Quando pretende proceder ao envio de uma determinada mercadoria, deve ter em atenção que existe um conjunto de mercadorias que não podem ser transportadas pelas empresas de transporte, saiba aqui quais são esses artigos para que não venha a ser surpreendido.