Saiba o que esperar das alfândegas

Blog

Saiba o que esperar das alfândegas
28-09-2015 às 12:09

Nos últimos anos o comércio online tem vindo a crescer imenso e, por conseguinte, tem-se registado cada vez mais uma maior apetência dos consumidores para comprar a nível global e não local.

Esta situação leva a que muitas vezes estes bens estejam sujeitos à aplicação de taxas alfandegárias. Estas taxas acabarão por tornar esses bens muito mais caros do que o esperado, por isso, antes de comprar ou vender a nível internacional deve informar-se e fazer bem as contas.

União Europeia

Uma das grandes vantagens de exportar ou importar bens dentro da União Europeia é que existe o conceito de livre circulação de bens entre os seus estados membros. Ou seja, não é necessário pagar qualquer taxa aduaneira para enviar ou receber um produto entre esses estados.

Contudo, apenas terá que ter em atenção que dentro da União Europeia existem alguns locais considerados extracomunitários, como é o caso:

- Alemanha: Buesingen, Ilha Helgoland;
- Dinamarca: Ilhas Faroé;
- Espanha: Ilhas Canárias, Territórios de Ceuta e Melilla, Andorra;
- Finlândia: Ilhas Aland;
- Grécia: Month Athos;
- Itália: Campione d’Itália, Livigno, Águas territoriais do Lago Lugano;
- Reino Unido: Guernsey, Jersey, Gibraltar.

Países extracomunitários

Os restantes países estão sujeitos à aplicação de taxas aduaneiras, sendo que o valor aplicado pode variar consoante o valor, tipo de artigo e com a legislação fiscal de cada país. No entanto, se tiver sorte e o seu artigo (sujeito a taxação) não for verificado, pode ser despachado sem a aplicação de qualquer taxa.

Se tem que enviar encomendas pequenas para um país extracomunitário, poderá considerar o envio por correio ou transportadora. A vantagem de enviar por correio é o custo reduzido e a menor probabilidade de a sua encomenda ser inspecionada pela alfândega.

No caso das transportadoras, a maior vantagem é o tempo de transporte que será muito inferior e haverá uma maior probabilidade de a encomenda chegar ao seu destino. Porém, as encomendas enviadas por transportadoras estão sujeitas a taxas alfandegárias mais elevadas e a uma maior probabilidade de virem a ser verificadas.

Publicidade

Leia também

Por norma um armazém representa uma grande fonte de despesa para uma empresa, por isso, já começa a ser habitual a subcontratação do serviço de armazenagem, no entanto, caso possua um ficam aqui algumas dicas de como poderá reduzir a despesa.

Segundo um estudo levado a cabo pela Economist Intelligence Unit (EIU) a pedido da DHL, a maioria das PMEs vê na internacionalização a possibilidade de aumentarem as suas receitas até 50% num prazo de 5 anos. Este estudo contou com a colaboração de 480 executivos e especialistas de 12 países e 20 indústrias.